CARACTERIZAÇÃO HIDROGEOLÓGICA DA MICROBACIA ONÇA NA RESERVA FLORESTAL ADOLPHO DUCKE, MANAUS AM

Conteúdo do artigo principal

Alderlene Pimentel de Brito et al.

Resumo

O conhecimento geológico e dos parâmetros hidráulicos superficiais e subterrâneos de microbacias são fundameanits para compreensão dos mecanismos de fluxo de água e do papel do aquífero freático local em um contexto mais amplo, definindo quais são os fatores físicos que controlam esses processos. Na Amazônia, apesar do enorme potencial hídrico, pesquisas no âmbito hidrogeológico são esparsas ou generalistas. No sentindo de expandir esse conhecimento, a presente pesquisa possui o objetivo de caracterizar hidrogeologicamente uma microbacia em floresta primária. Para tal, foi escolhida a microbacia Onça, curso de águdae primeira ordem, afluente do igarapé Ipiranga, localizado na preservada Reserva Florestal Adolpho Ducke, ao norte da cidade de Manaus. No local foram instalados sete piezômetros para a realização de slug e bail testes com o intuito de para determinar acondutividade hidráulica (K). Foram coletadas amostras de solo e sedimentos para a determinação da granulometria. Foi medido o fluxo de base  do  aquífero,  e  fe-zse  medidas  de  vazão  do  igarapé.  Os  valores  de  K obtidos variaram entre1,9x10-6  e 9,6x10-7  m/s, enquanto que alitologia varia entre arenosa a areno-síltica. A vazão obtida no igarapé em junho de 2013 e em janeiro de 2014, foi, respectivamente, 4,8x-31m0 3/s e 1,1x10-2m3/s. O fluxo de base para o igarapé, calculado pelo método de Darcy, foi 3d,e6x10-4  m3/s, muito inferior à vazão do igarapé possivelmente por conta da contribuição de fluxo de água através do folhiço, ou por causa de variações na condutividade hidráulica não detectadas com os piezômetros.

Detalhes do artigo

Como Citar
Alderlene Pimentel de Brito et al. (2022). CARACTERIZAÇÃO HIDROGEOLÓGICA DA MICROBACIA ONÇA NA RESERVA FLORESTAL ADOLPHO DUCKE, MANAUS AM. Igapó, 14(2). Recuperado de https://igapo.ifam.edu.br/index.php/igapo/article/view/234
Seção
Artigos

Referências

AGUIAR, C.J.B. (Coord.).rPojeto Rede Integrada de Monitoramento das Águas Subterrâneas: relatório diagnóstico Aquífero Alter do Chão no Estado do Amazonas- Bacia Sedimentar do Amazonas. Belo Horizonte: CPRM, 2012. Vol. 6. 30p.

ANA AGÊNCIA NACIONAL DE ÁGUAS.(2015A).valiação dos aquíferos das bacias sedimentares da Província Hidrogeológica Amazonasno Brasil (escala 1:1.000.000) e cidades piloto (escala 1:50.000.) Brasília: 331 p., Volume 3 Hidrogeologia e modelo numérico defluxo da PHA no Brasil.

BOUWER, H. ; R.C. RICE. A slug test method for determining hydraulic conductivity of unconfinedaquifers with completely or partially penetrating wells, Water Resources Researc,hvol. 12, no. 3, pp. 42-3428.1976.