ANÁLISE MICROBIOLÓGICA DE POLPA DE TUCUMÃ COMERCIALIZADA NAS FEIRAS DE MANAUS/AM

Conteúdo do artigo principal

Jeynne Pereira
Edson Francisco do Espírito Santo
Jomel Francisco dos Santos
Kilma Cristiane Silva Neves

Resumo

O tucumã é um fruto bastante consumido na cidade de Manaus, principalmente em cafés regionais, sendo comercializado in natura como fruto inteiro ou em polpa. A retirada da polpa desse fruto é realizada artesanalmente, mas na maioria das vezes não são adotadas medidas higiênico-sanitárias para manipulção de alimentos e nem utilizados meios adequados de conservação, tornando esse produto um possível veiculador de doenças transmitidas por alimentos, acarretando um sério problema de Saúde Pública. Tendo em vista o grande consumo e a importância do tucumã para a região em estudo, o objetivo deste trabalho foi avaliar a qualidade microbiológica da polpa do tucumã comercializada na cidade de Manaus. A metodologia utilizada foi número mais provável de coliformes totais e termotolerantes (NPM), contemplando dez amostras. Todas as mostras analisadas apresentaram resultado positivo para coliformes totais e apenas 1 estava conforme a Instrução Normativa n° 60 de 23 de dezembro de 2019, que estabelece limite máximo de 10 NMP/g para coliformes totais. Dessa forma, fica evidente a importância das boas práticas de manipulação dos alimentos, bem com medidas de conscientização dos processadores desse alimento, e dessa forma diminuir agravos à população.

Detalhes do artigo

Como Citar
Pereira, J., Francisco do Espírito Santo, E. ., Francisco dos Santos, J., & Cristiane Silva Neves, K. (2023). ANÁLISE MICROBIOLÓGICA DE POLPA DE TUCUMÃ COMERCIALIZADA NAS FEIRAS DE MANAUS/AM. Igapó, 16(2). https://doi.org/10.31417/irecitecifam.v16.177
Seção
Artigos
Biografia do Autor

Edson Francisco do Espírito Santo, Instituto Federal Do Amazonas

Possui graduação em Medicina Veterinária pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho - UNESP (2006). Realizou Curso de Especialização em Gestão de Sistemas de Produção Animal, com ênfase na área de Inspeção e Tecnologia de alimentos (2009). Possui Mestrado em Ciência Animal, realizado na UNESP - Campus de Araçatuba (2011). Em 2014, finalizou o curso de Doutorado em Ciência Animal na UNESP - Campus de Araçatuba. Desde 2014 atua como docente do Curso de Medicina Veterinária do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Amazonas - IFAM, Campus Manaus Zona Leste (CMZL

Jomel Francisco dos Santos, Instituto Federal Do Amazonas

Médico Veterinário formado pela Universidade Federal Rural de Pernambuco, Unidade Acadêmica de Garanhuns, UFRPE-UAG, no ano de 2012. Mestre em Sanidade e Reprodução de Ruminantes pela mesma instituição e especialista em Saúde Pública pela Universidade de Pernambuco - UPE ambos cursos concluídos no ano de 2013. Doutor em Ciência Veterinária (PPGCV) pela Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE) concluído em 2017. Membro da Associação Pernambucana de Buiatria - APEB, desde 2012. Professor do curso de Medicina Veterinária do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Rondônia, Campus Jaru. Trabalha com o ensino de anatomia, fisiologia animal, introdução à medicina veterinária, medicina e produção de ruminantes, comportamento e bem-estar animal. Promove pesquisa e extensão acadêmica por meio de projetos de Educação em Saúde. É avaliador INEP/MEC desde 2018.

Kilma Cristiane Silva Neves, Instituto Federal Do Amazonas

Possui Graduação em Medicina Veterinária pela Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE), Especialização em Metodologia do Ensino Superior pelo Instituto Cultural de Ensino Superior do Amazonas (ICESAM), Mestrado em Ciências de Alimentos pela Universidade Federal do Amazonas (UFAM) e Doutorado em Biotecnologia pela Rede Nordeste de Biotecnologia (RENORBIO/UFRPE). Atualmente é professora do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Amazonas.

Referências

BRASIL. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Resolução RDC nº 12, de 2 de janeiro de 2001. Aprova o Regulamento Técnico sobre padrões microbiológicos para alimentos. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 2001. 48 p.

BRAZ. J. Food Technol. Study of the conservation of the nutritional properties of in natura Tucumã pulp (Astrocaryum aculeatum) using vacuum packaging. v. 20, e2016107, 2017. Acessos em 17 jul. 2021 https://doi.org/10.1590/1981-6723.10716

CLEMENT, C. R.; LLERAS PÉREZ, E.; LEEUWEN, J. O potencial das palmeiras tropicais do Brasil: acertos e fracassos das últimas décadas. Agrociências, v. 9, n. 1, p. 67-71, 2005.

GOMES, R. M., dos SANTOS T.T.D., BOEIRA L.S Desenvolvimento de pasta de tucumã. Simpósio de segurança alimentar, FAURGS, 2018.

KAHN, F. The genus Astrocaryum (Arecaceae). Revista Peruana de Biología, v. 15, n. 1, p. 31-48, 2008.

KAHN, F., MOUSSA, F. Economic importance of Astrocaryum aculeatum (Palmae) in Central Brazilian Amazonia. Acta Botanica Venezuelica, Caracas, v. 22, n.1,1999.

KORNACKI JL, JOHNSON JL 2001. Enterobacteriaceae, coliforms, and Escherichia coli as quality and safety indicators. In: Downes F P, Ito K. (Eds). Compendium of Methods for the Microbiological Examination of Foods. Washington: Apha, p.69-80.

LANCETTE GA, BENNETT RW 2001. Staphylococcus aureus and Staphylococcal Enterotoxins. In: Downes F. P; Ito, K. (Eds). Compendium of Methods for the Microbiological Examination of Foods. Washington: Apha, p. 387-403

MOUSSA, F., KAHN, F. (1997). Uso y potencial economico de las palmas, Astrocaryum aculeatum Meyer y A. vulgare Martius, en la Amazonia brasileña. Quito: Abya-Yala, 101-116.

MOUSSA, F.; KAHN, F. Uso y potencial econômico das palmas, Astrocaryum aculeatum Meyer y A. vulgare Martinus, em la Amazonía brasileña. In: RIOS, M.; PEDESEN, H. B. Uso y manejo de recursos vegetales. Quito: Abya-Yala, 1997. cap. 1, p. 101-116.

Organização Mundial da Saúde (OMS). Disponível em https://news.un.org/pt/story/2015/04/1507221-oms-alerta-que-doencas-transmitidas-por-alimentos-matam-351-mil-por-ano&ved=2ahUKEwj9xPWImtj4AhU_BbkGHaboD8wQFnoECAYQAQ&usg=AOvVaw0lsVu6P7RmI6jG32sUGAhI. Acessado em 01 de julho de 2022.

SCHROTH, G.; MOTA, M. S. S.; LOPES, R.; FREITAS, A. F. Extractive use, management and in situ domestication of a weedy palm, Astrocaryumtucuma, in the central Amazon. Forest Ecology and Management, v. 202, n. 1-3, p. 161-179, 2004. http://dx.doi.org/10.1016/j.foreco.2004.07.026.

SEBASTIANY, ESTELA; REGO, ELIZANILDA RAMALHO DO; VITAL, MARCOS JOSÉ SALGADO. Qualidade microbiológica de polpas de frutas congeladas. Rev. Inst. Adolfo Lutz (Impr.), São Paulo, v. 68, n. 2, 2009.

SOUZA, G. C.; CARNEIRO, J. G.; GONSALVES, H. R. O. Qualidade microbiológica de polpas de frutas congeladas produzidas no município de Russas – CE. ACSA -Agropecuária Científica no Semi-Árido, v. 7, n. 3, 2011.

VIANA, A.L., SOUZA, C.S.C.R., SANTOS, I.N.L., SOUZA, J.G., CASTRO, A.P. (2010). Aspectos gerais da comercialização do tucumã nas feiras da cidade de Manaus, Amazonas. Anais do I Seminário Internacional de Ciências do Ambiente e Sustentabilidade da Amazônia. Manaus, Amazonas.

YUYAMA, L. K. O.; MAEDA, R. N.; PANTOJA, L.; AGUIAR, J. P. L.; MARINHO, H. A. Processamento e avaliação da vida de prateleira do Tucumã (Astrocaryum aculeatum Meyer) desidratado e pulverizado. Ciência e Tecnologia de Alimentos, v. 28, n. 2, p. 408-412, 2008.